sexta-feira, maio 26

(Crônicas Vampirescas) Memnoch

Título: Memnoch
Autor: Anne Rice
Gênero: Drama, Sobrenatural
Editora: Rocco
Especial: As Crônicas Vampiresca

Sinopse:
Nas suas quatro primeiras crônicas vampirescas, Anne Rice evocou para nós mundos que são fantásticos e distantes, tornando-os vibrantes, reais e imediatos com o nosso. Agora, em Memnoch, seu romance mais ousado e misterioso, ela nos leva, com Lestat, até o mundo mítico que é mais importante para nós — o território da própria teologia.

Olá pessoal.
Mais um mês e mais um livro das Crônicas Vampirescas para por aqui, o último livro não tinha me animado muito, será que este conseguiu me agradar mais?
— Lestat, preste atenção. Você precisa me dizer do que está falando. Nunca oouvi admitir com tanta presteza que estava com medo. Você usou a palavra medo. Nãopense em mim por enquanto. Esqueça-se da vítima e da moça. O que estáacontecendo, meu amigo? Quem está atrás de você?  

quarta-feira, maio 24

(HQ) Os Irmãos Karamazov

Título: Os Irmãos Karamázov em quadrinhos
Autor: Fiódor Dostoiévski
Gênero: romance, mangá

"O inferno é não confiar."
Oiiiee pessoal, hoje venho apresentar um dos quadrinhos da coleção mais amorzinho da Editora L&PM Pocket trouxe para cá, os Clássicos em Mangá (estilo de história em quadrinhos japonesa).

Essa adaptação resume a clássica história entre os irmãos:
Dimitri,  impulsivo e esbanjador; Ivan, estudioso, anarquista e ateu e Alieksiéi (Aliócha), carinhoso e fiel. E o pai Fiódor, mulherengo e ganancioso. Eles todos se reúnem para que o pai comunique que pretende se casar novamente e Diminitri descobre que essa noiva é a mesma mulher por quem ele está apaixonado, Grúchenhka, mesmo já sendo noivo de outra mulher, Katerina, que seu irmão Ivan amava. Mas a paixão de Dimitri por Grúchenhka força uma batalha entre ambos, onde não só uma vez Dimitri diz que irá matar seu pai. De fato Fíodor morre, e quem o matou? Dimitri claro é a maior suspeita. 

segunda-feira, maio 22

(Resenha) #34 O Nome da Rosa

Título: O Nome da Rosa
Autor: Umberto Eco
Gênero: Romance histórico, Ficção Policial
Desafio #34 Livro com uma cor no título

Porque nem todas as verdades são para todos os ouvidos, nem todas as mentiras podem ser reconhecidas como tais por uma alma piedosa, e os monges, por fim, estão no scriptorium para levar a cabo uma obra precisa, para a qual devem ler alguns e não outros volumes, e não para seguir qualquer insensata curiosidade que porventura os colha, quer por fraqueza da mente, quer por soberba, quer por sugestão diabólica.”

Olá pessoal, mais um desafio cumprido e apesar da Rosa no livro não se tratar de cor, também não se trata de nome e nem da flor e mesmo não sendo minha cor favorita decidi ler esse título porque gosto muito da sua versão para o cinema que mesmo já tendo assistido a muito tempo ainda lembrava de muita coisa, principalmente da parte investigativa.

quinta-feira, maio 18

(Resenha) Um Gato Chamado Borges

Título: Um Gato Chamado Borges
Autor: Vilto Reis
Gênero: Misterio

Olá docinhos, a pouco tempo nós recebemos um livro lindo do Vilto Reis, e nós prometemos uma resenha, não só para ele, mas para vocês também nosso leitores que estavam bem curiosos para saber do que se trata essa história, e para saber um pouquinho mais desse gato tão misterioso.

Mas se não faz ideia do que eu estou falando, antes de tudo convido vocês a darem uma olhada lá no post que apresento o livro, tem trailerbook e tudo ;)



segunda-feira, maio 15

(Resenha) #34 A Garota da Capa Vermelha

Título: A Garota da Capa Vermelha
Autor: Sarah Blakley-Cartwright
Série: Escola Noturna 1
Gênero: Y.A, Fantasia, Aventura

Desafio #34 Livro com Cor no Título 

Olá meus amores, nosso desafio pediu uma Cor no Título e eu não pensei duas vezes e pegue esse livro porque 1 gostei do filme mesmo sendo bobinho, e 2 sou fã da chapeuzinho, me julguem rsrs. Vamos saber como foi minha aventura?
Era a primeira coisa que se sentia ao passar pela cumeeira: medo. Daggorhorn era uma aldeia repleta de pessoas com medo; pessoas que se sentiam inseguras mesmo em suas camas, vulneráveis a cada passo e expostas a cada esquina